Arquivo de Tag | cultura

Primeira feira cultural das comunidades quilombolas de Jeremoabo – Bahia

16406621_703616046485150_8337319833516515754_nAconteceu nos dias 27 e 28 de janeiro de 2017 a Feira Cultural Quilombola na comunidade de viração no município de Jeremoabo BA. O evento foi uma promoção da SEPROMI em parceria com a ARCAS, que com a participação de comunidades circo vizinhas garantiu um momento de troca de conhecimentos, exposição dos produtos da comunidade, corte de cabelo, maquiagem, desfile da beleza negra, oficinas, concurso de poesia, manifestações culturais, diversão, palestras e um forró com artistas da comunidade.FONTE:ARCAS.

CONFIRA AS FOTOS.

Continue lendo

Educação de tempo integral, pacto para o fortalecimento do ensino médio, reforma curricular para o ensino médio: temas ricos, pouco trabalhados. Mas há uma luz acesa!!!!

Marcos José de Souza

Foto1031_001É a partir deste ultimo aspecto – o que e como estudar no ensino médio, o currículo – que declinaremos neste momento, que deveria ter saído em janeiro, conforme tarefa auto-imposta, a saber, um texto sobre educação a cada 30(trinta) dias, ao menos, durante o ano de 2015, tendo seu início sequencial em dezembro de 2014.Há tempo, principalmente nos últimos 05(cinco) anos viemos acompanhando, de modo indireto, isto é, sem adentrar no debate, várias inferências sobre o ensino médio, dentre eles, o ENEM, a demanda – jovem trabalhador, não-trabalhador, das pequenas, medias e grandes cidades, da zonas centrais e periféricas, da zona urbana e da zona rural, da rede pública e da rede privada – o currículo – educação de tempo integral e o que estudar e como estudar.Estando no Ensino Médio desde o ano de 1997 e exclusivamente nele desde 2001, sempre nos inquietamos com o comportamento dos estudantes, jovens, na sua quase totalidade, na faixa etária dos 15 aos 17 anos, portanto, uma fase da vida de início de consolidação dos mais variados conceitos, morais, sócias, intelectuais, políticos, desse modo, gente que pensa e tem opinião, por mais que nós professores e professoras, entendamos que são SOMENTE adolescentes e jovens. Foi a partir desse itinerário de confrontação – mundo adulto, diplomado e mundo juvenil sempre ansioso por mudanças – que viemos construindo um novo olhar sobre o que e como ensinar no ensino médio: a proposta de um currículo por temas, isto é, no lugar das disciplinas, teríamos cursos variados, tendo por base o conteúdo daquelas matérias de ensino e os conhecimentos obrigatórios para este nível de ensino, traduzidos na legislação por competências e habilidades.Para ilustrar essa ideia passo a expor uma leitura que fiz do livro Incidente em Antares, de Érico Veríssimo, publicado em 1995, pela editora Globo, São Paulo. O exemplar que li está na 45ª edição. O livro trata, sinteticamente falando, da “aventura” de 07(sete) cadáveres que decidem protestar contra o atraso nos próprios sepultamentos. Esse atraso dá-se por conta da luta dos trabalhadores da cidade de Antares, cidade onde ocorrem as ações da narrativa.

Escolhi o capítulo LXXVI para trazer à tona algumas possibilidades do que denominei de estudo por temas, no lugar das convencionais disciplinas. Após essa exposição, delinearei outra atividade, esta já aplicada na escola onde trabalhamos, bem como minha sugestão de alteração curricular, esta ideia foi indicada no plano de ação, que pode ser total ou parcial no ano letivo.

Continue lendo

COM 15 ANOS, ANA BEATRIZ É UMA DAS GRANDES NOVIDADES DA FELITA, NO SÁBADO (6)

A primeira edição da Feira Literária de Itabuna (FELITA) se inicia nesta quinta-feira (4), a partir das 18h e seguirá GetAttachment.aspxaté o próximo domingo, dia 7. O evento está sendo realizado pela Prefeitura de Itabuna, através da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). Entre as atrações confirmadas, um dos nomes que chama a atenção é o de Ana Beatriz Azevedo Bastos. Fã da literatura desde a infância, a jovem escritora de apenas 15 anos, tem um vasto currículo.Ana já escreveu 13 livros e foi um dos destaques nacionais da 23ª Bienal do Livro de São Paulo, que aconteceu este ano. Ela foi elogiada por grandes críticos da literatura brasileira, devido à repercussão do seu livro, “Sombra de um anjo”. A própria Ana fala da obra: “Essa publicação faz parte de uma série de quatro livros que conta a história de uma garota que sofre um acidente de carro e acorda numa ilha onde seus sonhos e pesadelos se misturam a uma realidade nova e desconhecida. E ela chega na ilha num momento em que o local passa por um conflito, uma guerra mesmo. Então, ela deve solucionar toda essa situação”, explicou. Sobre a FELITA, ela disse que está muito feliz de participar dessa exposição. “Eu tenho laços familiares com essa cidade, eu nasci em São Paulo, mas tenho um carinho muito grande por por causa do meu pai, que viveu em Itabuna durante um tempo. É muito bom retornar, venho em Itabuna pelo menos uma vez por ano e vir agora para participar de um evento literário é formidável”, disse.Ana Beatriz Azevedo Brandão cursa atualmente o primeiro ano do ensino médio, e recentemente assinou contrato com o selo principal da Editora Novo Século. Durante sua participação na FELITA, no sábado (6), a partir das 17h20min, a adolescente fará a divulgação de seu próximo trabalho, “Caçadores de Almas”, que deve ser publicado no primeiro trimestre de 2015. A FELITA acontece em Itabuna, na sede da Ação Fraternal de Itabuna (AFI). Informações completas do evento podem ser conseguidas no site www.feiraliterariadeitabuna.com.br.Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC).Assessoria de Comunicação (ASCOM).

PROJETO DE HISTÓRIA: Ofício do historiador e seus enlaces (VISITA A CASA DE CORREINHA)

Sabe-se que na sala de aula não e apenas o local onde são passadas informações, mas o ambiente onde se estabelece uma relação em que o educando constrói sentidos e significados de que esta sendo apresentado, sendo a pesquisa um dos métodos para desenvolver seus significados.

Durante a III unidade, a professora JOCELINA ALVES da disciplina de História, juntamente com o coordenador de área o professor VALTER, e a professora de L. Portuguesa SUELY, juntos colocaram em prática este projeto, onde foram até a residência do SR CORREINHA NA COMUNIDADE DA LAGOA DA VOLTA, o senhor CORREINHA DA ZABUMBA com é conhecido, é uma pessoa simplesmente sertaneja rústica e simples que tem no sangue a cultura que e a única em nosso município. A turma envolvida no projeto foi a 6º ano A, B, C da ESCOLA FLORIANO PEIXOTO. Enfim chegou o grande dia da visita, onde alunos e professores tiveram a oportunidade de ver na comunidade e na casa do CORREINHA, todos os objetos que representa a cultua do mesmo. A visita tem como objetivo desenvolver na prática, todas as teorias desenvolvidas na sala de aula. Sendo assim, os alunos buscaram aprender e a valorizar o patrimônio histórico de sua localidade, ajudando a gerar atitudes investigativas, criadas com base no cotidiano e da nossa realidade. Após a visita na casa de Correinha, onde o mesmo não estava presente, por motivo de problema de saúde, ficando assim marcado para o inicio da IV UNIDADE a conclusão do projeto que foi a entrevista com o Sr Correinha, esta entrevista aconteceu no dia 19 de outubro na IGREJA SÃO FRANCISCO DE ASSIS DA CIDADE DE FÁTIMA, estavam presentes os alunos, professores e a família do Sr Correinha, este vídeo vai mostra um pouco da história do Sr Correinha da zabumba.
UM POUCO DA HISTÓRIA DE CORREINHA DA ZABUMBA
O senhor Pedro Correia construiu a capela, onde eram celebradas missas e novenas, ao redor, eram enterrados todos os seus familiares, e hoje as pessoas que moram nas proximidades da capela, também ali são enterradas. Seu Pedro Correia era possuidor de proximidades de dez mil tarefas de terras e, antes de morrer, distribui duas mil com seus filhos. As novenas em sua casa, além do sucesso na região, deram alguns de seus filhos a inspiração para a arte, pois D Josefa Correia escreveu sua autobiografia toda em literatura de cordel ,e Correinha da Zabumba é um cartão postal do município de Fátima ,com sua banda de pífanos composta por ele ,esposa e filhos.As festas organizadas pela família fazem sucesso em toda a região ,Delas resultaram vários troféus ,e a premiação pelos concursos ganhos até no estado de Sergipe.O toque da Zabumba de Correinha e o cadenciado de seus passos são inconfundíveis.Como seu pai ,ele também é um valente vaqueiro.Promove vaquejadas festivas e seu traje pertencia ao Senhor Né André,grande vaqueiro de Fátima em tempos idos. O senhor Correinha da Zabumba é simplesmente uma pessoa que mostrou que é Possível um sertanejo rústico fazer amostra cultural com tanta simplicidade e naturalidade, eternizando uma cultura única do nosso município. Após a entrevista, a família do SR. CORREINHA, nos levou até a sua residência na cidade de Fátima, e mostrou uma enorme mesa , segundo ele , esta mesa tem mais de 100 anos.
A professora Jocelina Alves e o coordenador de área Valter e a professora de língua portuguesa SUELY, agradece o apoio da prefeitura e da secretaria de educação, a direção da Escola Floriano Peixoto, e ao blog SOFATIMA.NET E A JD FILMAGENS PELA DIVULGAÇÃO DO NOSSO TRABALHO, E NÃO DEIXANDO DE FALTAR CLARO. A FAMÍLIA DO SR CORREINHA QUE NOS PROPORCIONOU ESTE MOMENTO DE FÉ , CULTURA PARA TODOS OS ENVOLVIDOS NO PROJETO.

Reflexão sobre o dia da professora e do professor

Houve um tempo, não muito distante, em que a sociedade respeitava e valorizava os professores e as professoras, estes profissionais tão importantes para a humanidade quanto o ar que respiramos, quanto a terra onde pisamos, quanto a água que bebemos, principalmente docentes da educação básica inicial, que desempenham inúmeras outras funções além do ato de ensinar. O trabalho com crianças pequenas é extremamente delicado, exigente e necessário para o desenvolvimento cultural de um país.
Ouvimos por toda a vida que se não estudarmos, não teremos oportunidades de bons empregos, que seremos excluídos e marginalizados. E sabemos o quanto isto é verdade. Sim, são as professoras e os professores que nos ensinam a enxergar o mundo do conhecimento. Estas pessoas nos oferecem as chaves que abrem as portas dos caminhos da vida. Trabalham até a exaustão, abrindo mão de sua própria vida para exercerem a função que nenhuma outra profissão possibilita: o desenvolvimento das habilidades humanas e das potencialidades criadoras que nos possibilitam engendrar as mais belas e complexas criações. O médico, o engenheiro, o advogado, são profissionais que fazem parte das classes privilegiadas da sociedade. São profissionais valorizados e reconhecidos que conseguem manter um padrão de vida estável – que, no mínimo, permite um sustento mensal através da sua merecida remuneração. Porém, estes nada seriam se não fossem suas professoras e seus professores. No entanto, há um contraste muito grande, uma disparidade, um distanciamento enorme entre estas categorias e a categoria dos docentes, e não há uma justificativa racional para isto. Ambos lidam com a vida: o médico lida com a saúde física do paciente, o professor lida com a saúde cultural de um país. Estes profissionais educacionais, devido ao descaso e ao abandono social do qual são vítimas, vêm enfrentando uma série de dificuldades resultando em carências que lhes negam uma qualidade de vida. A valorização deste profissional é uma responsabilidade da sociedade, do poder público e da própria escola. Neste dia 15 de outubro, infelizmente, temos pouco para comemorar. Que pelo menos façamos uma reflexão. Valorizar este profissional é resgatar a saúde cultural do país que hoje se encontra em estágio terminal. Agradeço a todos os meus professores e professoras que tive na infância, na adolescência e aos que tenho hoje, na graduação. Agradeço aos que me ensinaram a ser professora também. Muito obrigada! Um professor é aquele que mostra os caminhos traçados pela civilização, que apresenta as chaves que abrem portas da felicidade, que faz perpetuar a cultura humana. Ah, nada mais lindo do que o olhar de uma criança que desperta para a leitura do mundo. Ah, nada mais sensibilizador do que conviver num mundo de descobertas, de encantamento, de possibilidades, de aprendizados. Essa é uma visão romântica da função exercida pelo professor, função esta que é cada vez mais desvalorizada pela crise social que vivenciamos. Nós, educadoras e educadores, que convivemos em espaços escolares, sabemos que esse romantismo tem uma outra conotação. Sabemos que, na prática, as coisas são diferentes. Hoje, o professor tem o papel de mediador que busca reestruturar o equilíbrio de uma sociedade desajustada, excludente e preconceituosa. É no seio da escola que explodem as bombas armadas pela atual crise, e os professores, como heróis invisíveis, tentam resgatar valores que foram afogados pela sociedade do consumo. Ser professor, hoje, é navegar em um oceano turbulento, é trilhar os caminhos tortuosos da contradição e da falta de valorização.

FÁTIMA-BAHIA: Encontro dos alunos do Centro de Cultura e Arte Clave de Sol na Praça Ângelo Lagoa.

O CENTRO DE CULTURA E ARTE CLAVE DE SOL com organização do Professor Lito promoveu um encontro dos alunos na Praça Ângelo Lagoa em Fátima – Bahia, o encontro deu-se inicio às 19 horas com uma boa participação da comunidade, segundo professor Lito, este encontro tem como objetivo promover um momento diferente para eles, onde eles tem oportunidade de mostrarem os seus talentos e brevemente nos estaremos promovendo mais um momento como este e aproveitando a oportunidade, gostaria de convidar os jovens , crianças e os adultos para virem prestigiarem estes novos talentos na música, na dança, porque estamos pensando de realizar vários encontros como este.

Continue lendo